Vodkas 

      IMG_3335-1

Sempre gostei de sair à noite e, felizmente, trago um percurso de adolescência em cheio, com tudo a que esta fase da vida tem direito. Não me arrependo de nada do que fiz, embora me arrepie de pensar que os meu filhos venham a fazer o mesmo…
Confesso que estou muito pouco preparada para a maluqueira da adolescência e que penso imensas vezes que aí é que vão ser noites sem dormir. Duvido que consiga dormir a imaginar os meus “bebés” por esse mundo fora a fazer aquilo que não devem, mas que infelizmente têm de fazer. 
 
Durante toda a minha vida de adolescente/ jovem adulta achei que os “crescidos” eram uns secas. Não saiem à noite, não acompanham a música que vai aparecendo, a sexta-feira e o sábado é para eles uma noite como as outras (por acaso os meus pais não eram assim, mas a maioria dos “outros”)  usam saias travadas até ao joelho, não vão a concertos, vêem o telejornal e falam de coisas sérias.
Cresci a prometer a mim mesma que não queria ser assim. Prometi a mim mesma continuar a ouvir música aos berrros, prometi a mim mesma não tirar o piercing do nariz – mesmo que seja um entrave na minha vida profissional, prometi a mim mesma que ao Sábado à noite não é para ir para a caminha cedo, prometi a mim mesma não ver o telejornal.  Quero continuar a estar com os meus amigos como na altura da adolescência, com conversas parvas, boa música, sem horas, sem responsabilidades e, se possível, com uns “shots” pelo meio (obviamente que com a moderação suficiente para não aniquilar o Domingo por completo) 
Então, há uns anos criámos “a Cena”(uns jantares que organizamos cá em casa) – que falarei mais promenorizadamente  daqui a uns tempos pois agora está em stand by porque a Jasmim definitivamente não gosta de dormir. E, com “a Cena” vieram também estes vodkas que nos animam a noite de Sábado (ou Sexta, ou Quinta ou seja a que for).
 
As infusões de vodka são mesmo muito simples. Como se fosse um chá.  Mas em vez de água é vodka. Os sabores são totalmente à escolha. Já experimentámos com quase todas as frutas e ficam ótimos – a destacar o limão e o pêssego. 
Desta vez fizémos um de canela, um de  erva-principe da nossa horta (esta veio de Moçambique trouxe o nosso querido amigo Tiago e está linda e viçosa há mais de dois anos) e outro de toranja. Para quem quiser experimentar, passo a explicar como é que se faz estes Absoluts caseiros.
Ingredientes : Vodka (o melhor é ser de boa qualidade, o nosso não é porque é caríssimo)  e o ingrediente escolhido para dar sabor. Depois é só colocar num frasco o ingrediente escolhido e o vodka. Ao fim de um, dois  ou três dias (dependendo da intensidade do ingrediente escolhido) coa-se o vodka para uma garrafa (costumo guardar sempre as garrafas de polpa de tomate). Depois, é só fazer um rótulo à medida que identifique o que está lá dentro e que  também vai dar óptimo aspecto ao vodka. Estes foram feitos pelo Francisco, pois se fosse eu mais valia não ter rótulo… No caso do Vodka de erva principe deixámos a folhinha dentro da garrafa pois fica ainda mais saboroso para além de bonito. 
Anúncios

4 thoughts on “Vodkas 

  1. Mas que bela dica esta das infusões de vodka! Eu também sinto que, apesar de passadas as fases da adolescência e juventude, existem coisas que não devemos deixar de fazer, porque nos sabem e fazem bem, porque nos permitem continuar a sentir que estamos vivos! O convívio com amigos, sobretudo em casa, é uma constante por aqui, pelo que a ideia das infusões é excelente! Obrigada! Votos de um bom final de semana!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s