Caos calmo

           

Costumo passar por uma pessoa muito calma e as pessoas imaginam sempre a nossa família muito zen. Imaginam que não há gritos nem zangas nem correrias. Imaginam que não há stress e que os nossos quatro filhos nos obedecem calminhos quando os chamamos. Que tudo flui nesta casa de uma forma harmoniosa enquanto o pai faz o pão e cuida da horta e a mãe está feliz a por a dar de mamar à quarta filha. Mas não. Felizmente não é assim cá em casa. 
O que acontece é o que inventámos o caos calmo. Este termo, roubado de um livro do Sandro Veronesi, protagonizado no cinema pelo nosso querido Nanni Moretti (realizador do “Caro diário”, um dos meus filmes preferidos) é apropriado pela família seismaisdois  para lidar com o caos do dia a dia como uma coisa boa e natural. 
O caos, para mim, passa para calma a partir do momento em que já estou a contar com ele. Ou seja, sei bem que no meu dia a dia atarefado, confuso e barulhento, o que une o ponto de partida A ao ponto de chegada B não é, de todo, uma recta linear, mas um turbilhão de curvas e contra curvas que voltam para trás dão voltas e voltinhas, cambalhotas e até loopings . Mas a partir do momento em que estou a contar com isso. Tudo é mais simples. 
Acordar não é sair da cama. É não quererem sair da cama, é estarem de mau humor, é fazerem uma birra (ou duas ou três).  O pequeno almoço não é só comer uma papa, é entornar leite, querer outra colher, outro prato, mais quente, mais frio, ficar ao pé da mana. Vestir, ui, vestir e lutar é mais ou menos a mesma coisa. Outras calças, a camisola que está para lavar, os sapatos que já não servem. Manga curta no inverno, manga comprida no verão. Lavar a cara e os dentes não vou nem comentar. Sair de casa é tudo, menos dirigirem se para a porta, descer as escadas e entrar no carro. Sair de casa é voltar para trás para escolher outro brinquedo, lamber o corrimão (?), lembrarem-se que se esqueceram da bola, dum recado para assinar, não querer entrar no carro, não querer ir à escola.
 Mas a partir do momento em que estou a contar com isso. Tudo é mais calmo. Um caos calmo.
Anúncios

15 thoughts on “Caos calmo

  1. É engraçado porque aqui por casa tb tenho tentado aceitar o caos, os atrasos, a desarrumação e as zangas. Nem sempre é fácil, mas sinto que tudo corre melhor quando não espero a perfeição. Obrigada pela partilha.

  2. Obrigada pela partilha. É de facto a sensação com que se fica quando se vem aqui. Lá em casa somos só 4 e também é o caos, nem sempre assim tão calmo. E já agora, parabens pelo blog, adoro ler tudo o que escreve.

  3. Olá Maria,
    Lá em casa somos 5 e é TUDO igual!!! E depois demoram a entrar no carro e a sair do carro… e quando os vou buscar à escola, demoro eternidades a regressar a casa… só que nem sempre é um caos calmo… muito pelo contrário!
    Mas confesso que desde que leio o que partilhas, tenho tentado ser diferente! Ter mais calma dentro do caos 🙂
    Obrigada pela partilha,
    Alexandra

  4. Tão boa esta descrição e revejo na perfeição a minha familia.
    Vou tentar aceitar o caos, para que seja tudo mais fácil.
    Obrigada
    Beijinho

  5. Ai Maria vou tentar adoptar esse sistema porque aqui o caos não é nada calmo sao 4 rapazes de 15-12-8-8 ( gémeos) 4 cães …e se pensam que os maiores já ajudam ou são mais fáceis …nada disso…mais difícil ainda 😦 …desde que descobri o seu blog ( 5/6 dias atrás) tenho me sentido tao reconfortada porque vejo que existem pessoas como eu ,tem dias que me sinto tao desesperada por nao conseguir dar conta de tudo , deixar algo pra traz fazia me sentir que estava a falhar e fez me ver que nao é bem assim e ainda bem … E o facto de ver que existem mesmo assim algumas famílias numerosas que passam pelo mesmo que eu todos os dias faz me sentir que não estou sozinha no barco …aliás eu achava que estavam extintas as “familias numerosas” em Portugal , deixei infelizmente o nosso país a 9 anos mas volto sempre 1a 2 meses no verao e passo as férias todas a responder a um questionário interminável sobre a minha vida seja no supermercado ou na padaria ou na praia… : são todos seus ? Ai coitada , tao novinha ainda por cima só rapazes ( parece que a desgraça ainda é maior se for no genero masculino) … e vive em Portugal? Ha pois aqui não sobrevivia …e são todos do mesmo pai???!!!( Esta então é o cumulo) e lá passo eu 2/3 das minhas férias a satisfazer a curiosidade de desconhecidos enquanto o meu marido se esgueira a rir antes que a coisa se volte po lado dele 🙂 enfim 😉 Continue a escrever Maria porque faz me ter mais vontade ainda de ser melhor mãe 😉 beijinho

  6. A gestão de expectativas é fundamental 🙂 Aceitar que as coisas são o que são, deixar de querer controlar tudo e aprender a apreciar o inesperado. Que bom!

  7. Olá Maria!
    Cá estou novamente a comentar, mas é dificil não o fazer…
    Também lutei anos contra mim própria e contra o caos que tem sido a minha vida, agora que os meus filhos têm 14 e 10 anos, já estou melhor…se calhar estpou é mais velha!
    Acho que o importante é aceitar, gostei muito daquela frase sobre o caminho de A até B…eu vi muita gente à minha volta, colegas, amigos e familiares que o faziam sem sobressaltos e quase sempre em reta, e achava que comigo ia acontecer o mesmo.
    Mas não tem sido assim…tem havido curvas, contracurvas e algumas retas também, é verdade.
    Mas já dou comigo diáriamente a pensar no que tenho pela frente diáriamente e a stressar menos…a encarar as coisas com animo e naturalidade e tem corrido melhor, sem duvida.
    Ainda me falta trabalhar a delegação de competencias e o tempo para mim…mas a vida é feita de etapas, certo?
    E nunca é tarde para nos tornarmos pessoas melhores, certo?
    Obrigada por mais esta partilha, mais uma vez me revi nas suas palavras, mais uma vez tocou na ferida…que bela terapia, Maria!
    Beijinho!

  8. Maria boa tarde mais uma vez a comentar o seu blog mas realmente, como alguém já mencionou, é impossível não o fazer. Na minha perspectiva o que a Maria vai relatando é tão mas tão importante… porque é bom saber que existem famílias numerosas mas mesmo com alguma confusão (que eu adoro porque aqui é igual) a Maria consegue fazer tantas coisas ao mesmo tempo como correr, organizar as segundas feiras, tempo para os filhos e para o marido…e é neste relato que vamos bebendo um pouco mais da sua maneira de ver a vida e vivê-la. Por favor continue para mim o melhor blog dos últimos tempos.
    beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s