Dia mundial da Criança 

              

Para mim o mais importante de ser criança é ser criança. É ser livre e ser selvagem. É brincar e pôr as brincadeiras à frente de tudo. É não saber o que são problemas.

Dizem que fui uma criança muito estranha porque nunca via televisão. Acordava cedo, com pressa para ir brincar. Nunca percebi porque é que os adultos não brincavam, se era tão bom brincar (também não percebia porque é que não liam “Os Cinco” se não havia aventuras como aquelas).
Quando cresci, continuei a brincar. Comecei a ter vergonha, das minhas amigas já ninguém brincava (só eu e a Mafalda) … Escondia os brinquedos e não contava a ninguém o que tinha sido o meu presente de natal.

Um dia, fui viajar com os meus pais, fomos a Paris e comprei uns Playmobiles novos. Um máximo. Quando voltei, peguei neles, comecei a brincar, e não me deu gozo. Percebi logo que tinha acabado a minha idade do faz-de-conta. 
Fiquei tristíssima.
Por isso, vibro muito com o brincar . Por isso, escolhi uma profissão onde muitas vezes posso e devo brincar. Na verdade acho que sou uma criança grande. Se calhar por isso tenho 4 filhos. Se calhar por isso ponho sempre a brincadeira em primeiro lugar. Se calhar por isso detesto que eles joguem jogos electrónicos mas também detesto trabalhos de casa. Por isso gosto de ter uns filhos desvairados.  Por isso, para mim os trabalhos e as obrigações são sempre para fazer, claro, mas só depois da brincadeira. Porque para as crianças que não brincam tudo o que têm a brincar nunca vai ser fácil aprender nem ser adulto como deve ser.

Não sei em que ponto da evolução da humanidade a palavra “selvagem” se tornou pejorativa. Porque para mim todas as crianças deviam estar o mais próximo possível do seu estado “selvagem”. Porque ser criança é ser livre, fazer de conta, correr, mexer em tudo, não parar quieto, não pensar em obrigações. Os meus são assim, e dão-me muito trabalho. Mas na verdade,  tenho orgulho que eles sejam assim. Às vezes apetecia-me que não fossem. Que dessem mais importância ao que têm de fazer e não ao que gostam de fazer. 

Mas, um dia vai chegar o dia. E, também eles vão perceber que, de repente estão crescidos e que já não acham tanta graça a brincar ao faz de conta.  Espero que, como eu, guardem sempre dentro deles uma vontade de brincar e de não serem adultos formatados, preocupados, sérios. Que não sabem onde está a criança que foram.
O trabalho é  importante, claro, mas só depois de estar tudo bem brincado .
Anúncios

5 thoughts on “Dia mundial da Criança 

  1. Como me revi nas palavras que escreveu! Também eu brinquei até tarde e também eu me lembro do dia em que triste percebi que brincar com as minhas bonecas já não era a mesma coisa! Beijinhos

  2. Maria, cada vez que te leio penso que as tuas palavras foram escritas pela minha mão!!!! E é tão bom!!! Ainda agora o meu filho me pediu para jogar consola e como eu odeio a consola, mas deixo que o faça porque é uma brincadeira que ele gosta e acho que, depois de tantas horas na escola, pode fazer uma coisa que gosta. Também detesto trabalhos de casa e já o disse à professora dele.
    Também brinquei até tarde. Lembro-me que com 12 anos ainda brincava com nenucos e barriguitas, enquanto as minhas amigas já andavam noutra onda.
    🙂 Obrigada mais uma vez por me trazeres boas recordações 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s