A praia antes das férias (aka Costa da Caparica)

            

Desde sempre que fazemos muita praia. Claro que, o estilo de praia tem mudado muito ao longo dos anos. Durante muitos anos ir à praia significava sair de casa, sem pressa às duas da tarde, estar a contar, sem preocupação, com  o trânsito  que íamos apanhar na ponte e, por isso levar muitas cassetes escolhidas a dedo para o programa. Íamos vários no mesmo carro, normalmente ainda a recuperar dos excessos da noite anterior. Rumávamos, normalmente, até Alfarim, para fugir às enchentes da Costa. Depois de chegados tínhamos todo um dia de praia à nossa frente.  Dormíamos , líamos (LÍAMOS???) os banhos duravam horas . Ficávamos na praia até ao fim do dia e, provavelmente acabávamos a petiscar e  a beber umas cervejas num restaurante próximo.

Depois de nascer o primeiro filho tudo mudou. A praia não voltou a  ser a mesma coisa. Não que esteja necessariamente pior, antes pelo contrário, acho que me iria aborrecer horrores, praia esparramada a ler e a apanhar sol (ía?).

E, embora nunca mais tenha sido a mesma coisa, nunca deixámos de fazer muita praia e, ao longo dos anos, temo-nos tornado cada vez mais profissionais nesta história da praia com os meninos.
Não somos exemplo no que diz respeito a horas, gostamos de estar na praia sem o “stress” de ter de ir embora e, por isso não cumprimos horários rígidos (antes pelo contrário) No entanto, nunca um filho nosso apanhou um escaldão ( nem uma insolação ou desidratação). Temos claro alguns hábitos para estar na praia, hábitos estes que foram sempre sendo aprimorados ao longo dos anos.

1. Apesar de cada um ter a sua toalha, eu tenho uma  toalha gigante onde cabem todos, serve de pano de piquenique quando é para ir almoçar e para estarem todos em cima de mim quando eu quero estar com (um bocadinho) menos de areia. Apesar de cada um ter a sua toalha, esta é a preferida de todos.

2. Como fazemos muita praia, seja em férias seja sem ser em férias não podemos comer sempre sanduiches, pois seria um exagero de pão para todos, pelo que costumamos alternar entre as sanduiches e outras coisas  também simples e frescas como, por exemplo, saladas de massa ou a típica de feijão frade com atum.  Levo num grande tuperware (sim, somos daqueles que vão de lancheira enorme azul para a praia) e depois uma taças e garfos  para todos. Melancia (cortada aos cubos e sem caroços – só eu!) é também uma constante na nossa lancheira. Ovos cozidos e, claro muita água!

3. A sombra é fundamental, em férias  até usamos dois guarda sóis. Um para as comidas e águas e outro para nós e para eles (Badu incluído).

4. Desde  muito bebés (infelizmente quando crescem perdem este hábito maravilhoso…) que eles fazem boas sestas na praia. Quando digo boas, não sei mesmo se não serão as  melhores:
Para conseguir uma boa sesta de um bebé, é fundamental usar o “truque” do pó talco. Provavalmente toda a gente já conhece o “poder” do pó talco com a areia. Sem este ingrediente tudo é mais complicado com os bebés. Depois do rabinho (dentro ou fora da fralda) na areia seca, na água, na areia molhada, com suor e sal  fica muito dificil tirar a areia teimosa agarrada à pele. Com um bocadinho de pó talco sai toda a areia, incluindo aqueles grãozinhos mesmo no meio dos refegos queridos das pernas e virilhas do bebé. A pele fica macia, sequinha e sem um grão de areia.  Depois de um bom almoço, muita água, fralda mudada com ajuda do pó talco e uma roupa fresca e seca é só fazer umas festinhas e um colinho e estão prontos para a melhor sesta que se pode dormir.

5. Outro truque que usamos, que simplifica muito a vida na praia (onde não tiramos os olhos de cima deles) foi me sugerido há uns anos por uma amiga que tem 8 filhos (na altura penso que “só”  tinha 5 ou 6) que é irem todos com o fato de banho igual. Isto é a diferença entre estar sempre em stress a ver onde eles estão e contar fatos de banho da mesma cor. Na altura, na praia com essa minha amiga, procurava os meus (ainda “só” dois) e rapidamente encontrava os 5 (ou 6) dela em segundos só pelo fato de banho. Claro que corremos sempre o risco de haver outras crianças por perto com os fatos de banho iguais, mas não é comum.

6. Quando temos um bebé (como é o caso este ano) levamos, junto com as pás, baldes e raquetes uma pequena piscina que, embora seja sobretudo para os bebés, todos adoram e usam muito, nem que seja para brincar lá por perto.

7. Antes de avançarmos para a praia (esta é mesmo só quando é praia em regime não-férias) espreitamos sempre o beachcam para saber os horários da maré. O horário que vamos fazer depende dessa informação, pois maré cheia não é para nós. Precisamos de espaço, muito espaço, não só para não estarmos colados às pessoas mas também para fazer todos os jogos que eles gostam (futebol, raquetes, castelos e buracos, etc…)

Agora, felizmente estamos em contagem decrescente até às férias, atravessar a ponte só uma vez e de vez, rumo ao Sul e aos melhores dias de praia do ano.


Anúncios

9 thoughts on “A praia antes das férias (aka Costa da Caparica)

  1. “só” 5 ou 6, “só” 2 ❤
    realmente vamos progredindo e subindo a parada e quando retiramos um da equação é tããão mais fácil! é como subir de nível no jogo, é a melhor imagem que encontro (viste a família de 18? fico tão mais relaxada quando vejo o vídeo youtube…). depois olhamos para trás e nem percebemos como é que antes tudo era tão difícil 😉
    obrigada pela dica do pó de talco e da mesma cor dos fatos de banho (fluorescente deve ser tiro e queda!)

      1. tb tive conhecimento deste truque há uns dias, através dum site que vende umas almofadinhas com um pó ‘secreto’, que eu suspeitei logo ser pó talco. Maria, como faz concretamente? aplica o pó na pele e limpa com a toalha seca? Obrigada

  2. (Não resisti e vim dar uma espreitadela). Também não conheço a família de 18!!! Gostei da dica “beachcam”, obrigada! Foi ótimo estar hoje com vocês! Matar saudades do tempo em que íamos para a praia sem horas, mas agora com mais “alguma” companhia. Bjs

  3. Olá Maria,
    Uma questão!:) Já é a 2ª vez que recorro aos seus conselhos!
    Estou grávida de duas meninas, quase no final da gravidez e ainda não nos decidimos pelo modelo de espreguiçadeira a comprar. Umas dão apenas até aos 6 meses, vibram e dão música. Outras podem ser utilizadas até aos 2 anos e funcionam como baloiço com o próprio peso do corpo. Resumindo e concluindo, há tanta oferta no mercado que fico baralhada! Uma vez que a Maria já é uma mãe experiente, acha que após os 6 meses, continuaremos a dar utilidade à espreguiçadeira? vi que a utiliza na praia e pareceu-me uma ótima ideia para fazer sestas e até dar o almoço!Ou acha que só vale a pena até aos 6 meses e que a partir daí será difícil “segurá-las” na espreguiçadeira? Acha que vale a pena investir numa baby bjorn ou recomenda outra marca/modelo?

    Beijinho e muito obrigada mais uma vez!
    Boas férias para todos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s