Porque nem tudo é cor de rosa (mas na verdade quem é que gosta de cor de rosa?)


Este blog é, para mim, um espaço muito especial e privilegiado onde partilho momentos da nossa família, pensamentos que vou construindo e também algumas coisas que vou fazendo. Não foi fácil começar, encontrar-lhe um tom perceber o que fazia sentido aqui mostrar. Já tive vontade de desistir imensas vezes, tenho incertezas e dúvidas. A vários níveis. Um deles é encontrar  os limites daquilo que devo e que não devo partilhar aqui. E, por isso tento seguir um bocadinho o tom daquilo que me parece interessante e alegre mostrar.

Não sou de dramas nem queixumes e, muito menos, de os partilhar e por isso, o que acontece é que quem lê este blog fica muitas vezes com a ideia que a nossa vida é perfeita. Que sou de ferro, sempre bem disposta, a fazer cereais, a educar os seus filhos na perfeição e a fazer programas divertidos. A conciliar trabalho, vida familiar, social e amorosa com uma perna às costas.

Mas não. Embora seja nessa parte que me tento concentrar. E, por isso muitas vezes pode parecer tudo muito bonito e perfeito, porque quando nos focamos no que realmente interessa percebemos que sim, é perfeito. Não quero esperar por algo dramático aconteça para dar valor ao que tenho. Até porque, mesmo quando percebemos que alguma coisa corre menos bem, conseguimos sempre encontrar alguma situação que poderia ser pior. Trabalho muito para pensar assim. Não é só porque sou muito zen e feliz na minha vidinha. Temos os nossos problemas. Às vezes estou irritada, às vezes embirro com pessoas, às vezes a nossa casa de banho cheira a canos, às vezes apetecia-me não ter tantos desafios comigo própria, comprar chocapic e sopas já prontas. A nossa economia familiar é mais do que uma ginástica, é um trapézio sem rede  e um assunto que não me deixa dormir sossegada. Atraso contas, não compro nada mais do que as compras semanais essenciais. A saúde da família próxima também não está perfeita.
Mas não passamos fome. Mas não somos refugiados. Mas não estamos sozinhos.

Dá trabalho pensar assim, temos de estar sempre a ser positivos e a tentar perceber o que podia ser pior – e na verdade as coisas nem sempre são comparáveis assim tão linearmente: claro que podemos estar chateados  porque a máquina da loiça se avariou, mesmo que existam pessoas que nem podem ter máquina da loiça. Não temos de sentir remorsos por nos entristecer não poder comprar uns ténis novos para os nossos filhos, quando há pessoas que não têm casa. Podemos e devemos. Entristecer, irritar, chatear, implicar. Faz parte. Só não podemos permitir que isso tome conta da nossa vida.
E é isso que tento partilhar aqui. O trabalho que faço para ser feliz, para ter uma vida intensa e realizada, apesar dos contratempos que vamos tendo. Mesmo que isso implique esforço mental e físico. Mesmo que isso implique desfocar-me de coisas que, apesar de importantes, podem passar para um segundo plano para me focar naquilo que realmente interessa.

Anúncios

22 thoughts on “Porque nem tudo é cor de rosa (mas na verdade quem é que gosta de cor de rosa?)

  1. Maria, este post parece ter sido escrito para o meu dia de hoje, obrigada.
    Não nos conhecemos mas muitas vezes tenho vontade de lhe dar um abraço (pelos posts cor-de-rosa), hoje dava-lhe um abraço por este.
    Um beijinho e boa semana. E bom ano!

  2. Sigo este blog desde há algum tempo para cá e este post é uma descrição dos meus dias. Tentamos a perfeição sem que esta seja um sucesso garantido; tentamos estar gratos pelo que temos, porque há realidades bem piores e a verdade é que tudo isso, essa ginástica mental de nos motivarmos nos desgasta. Mas há sempre forma de ver”o copo meio cheio”, de nos levantarmos de manhã e irmos à luta, nem seja para ouvir às 21h30 da noite a filha perguntar “quem te ama mamã?” e sentirmos que vale a pena toda esta luta.
    Um beijo.

  3. Olá Maria. Quem pensa que a tua vida é perfeita apenas pelo que escreves, então não tem noção da realidade! Não há vidas perfeitas, isso é uma ilusão! E sou da opinião (mas quem é que quer saber o que penso? 🙂 ) que vir para o blog contar coisas negativas, não faz sentido. Não é que não se escreva de coração, mas partilhar com os outros o melhor da vida, o melhor de nós, é muito mais válido. Claro que este desabafo de hoje faz bem, é uma forma de catarse. Continua assim! Ah, eu não acho muita piada ao cor-de-rosa

  4. Podiam ser minhas estas palavras…revi-me nelas. No meu blog também falo de viagens, de programas, de dicas de atividades e familia, mas também por cá existe a rotina, com todas as suas coisas boas e más… mais boas felizmente. Vou continuar a passar por aqui e convido a passar pelo Com malas feitas.

  5. Bom dia Maria! Bom Ano para ti e toda a Família.
    Gosto tanto, mas tanto de te ler e identifico-me tanto! Só a parte da corrida matinal é que admiro imenso mas seria incapaz! Não desistas deste Blog, continua porque cada post é uma lufada de ar fresco e uma alegria para o meu dia. E obviamente queremos é ler coisas animadas.
    Beijinhos para todos em especial para os miúdos que são uma delicia.

  6. Adorei este texto, tão real para a maioria das famílias. Mas não é isso mesmo que se trata? Termos uma vida perfeita no meio das imperfeições. O cor-de-rosa pode ser passado de várias formas, aqui é passado de forma bastante realista e motivadora, e não no sentido fantasioso de conto de fadas!

  7. Bom dia Maria e Família Linda! Completamente compreendida deste lado! Sou mãe de 3 e sei perfeitamente a ginástica que é preciso fazer com o orçamento… o adiar compras, porque outras são sempre mais necessárias… mas a nossa vida é assim… podia ser pior (felizmente não é)… e temos que pensar positivo, porque o contrário não vale mesmo a pena! É seguir em frente e pensar que um dia vai ser melhor 🙂 Beijinhos

  8. Querida Maria! 🙂 foi através de uma das minhas filhas, que cheguei ao seu blog. Gosto do que aqui leio. Muito. Porque é verdadeiro. Porque me faz bem 🙂 Não tenho por hábito comentar sem blogs…e afins, mas ao post de hoje, É TUDO ISSO. É A VIDA! 🙂
    Força, minha linda e BOM 2016 para si e todas as suas fantásticas gentes!
    beijocassssss
    vovómaria

  9. A vida é mesmo assim, feita de altos e baixos, e que bem descritos estão esses momentos neste seu depoimento. Muito obrigada, Maria, por os partilhar conosco e mostrar a sua força para os resolver. Um Feliz ano para si e toda a sua linda família.

  10. Olá
    Gostei muito do post. Apesar de saber que não existem vidas perfeitas, gosto de ler o seu blog porque é inspirador, principalmente porque tem 4 filhos e gosto de perceber o dia a dia.
    Mas também é inspirador perceber o que, por vezes, corre menos bem.

    Beijinhos

  11. Obrigada, Maria. Adoro o blog e adorei este último post. Poder tocar os limites e fragilidades com leveza e optimismo é, para mim, uma enorme fonte de esperança e inspiração. Tenho caminhado nesse sentido e que bom que é vir “aqui” e sentir o mesmo “desse lado”. beijinho enorme e que 2016 seja muito bommmm! 🙂

  12. É mesmo! A vida não é de todo cor-de-rosa, mas vale florear um bocadinho aquilo que de melhor nos acontece no dia-a-dia.Lá porque não falamos nos nossos infortúnios não que dizer que não estejam a acontecer e que não soframos com eles (quantos nãos cabem numa frase?). Dou-te um exemplo pessoal, no meu trabalho e alguns amigos só souberam que a minha estava hospitalizada há mais de um mês quando morreu. São sentimentos que guardamos para nós e só partilhamos com quem está mais próximo. Dá muito trabalho mantermos a calma e relativizar os problemas. As melhoras para quem está doente.

  13. Olá Maria!
    Bom ano para todos!
    Não desistas de escrever, faz-me tão bem ler-te!
    Porque a maior parte das vezes me identifico com o que escreves, como é o caso deste post…não há pessoas perfeitas, nem familias perfeitas e tu transmites isso mesmo.
    Obrigada!
    Beijinhos,
    Ana Martins (…a da caravana)

  14. Felicidade é isso mesmo, aceitar o que temos e … “bola prá frente”, quanto ao resto é efetivamente resto, um dia ou outro perturba-nos, mas não faz moça no caminho que escolhemos e aceitamos “trilhar” e é nisso que este blog é uma verdadeira inspiração por ser VERDADE.
    Bjos e continue.

  15. “Nos doutes nous assaillent et nous font échouer. Et nous manquons le but que nous pourrions atteindre par crainte seulement de ne point l’atteindre.”
    De William Shakespeare
    Parabems por essa sua sensibelidade …Otima continuaçao.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s