A famigerada segunda-feira


  

Na verdade o que me custa mesmo  é a angustia do domingo à noite.
De repente, afinal não estou nada farta dos meus filhos. De repente o mundo parece um sitio inóspito e pondero se o melhor mesmo não é desistir das escolas e dos trabalhos e ficarmos todos sempre bem juntinhos e não nos separmos à segunda feira de manhã. Ao domingo à noite, trabalhar e aprender não é importante. Ao domingo à noite a semana avizinha-se longa, fria e cinzenta. Ao domingo à noite nada faz sentido. Só o conforto da nossa casa.
Eles vão dormir e nós, para ultrapassar a neura, comemos a nossa pizza e ficamos a ver séries e filmes até cairmos para o lado, para  não ter de pensar muito no assunto e ter a certeza que aproveitamos o fim de semana até à última gota.
Mas depois acordamos, e lá estamos  nós na famigerada segunda feira. Ninguém quer sair da cama, ninguém quer ir à escola. Eles têm sono e nós também. Não sabem o que querem tomar ao pequeno almoço,  não querem vestir, têm frio, dói-lhes a barriga, a cabeça e o joelho. Eles estão moles, nós apressados. Amanhecemos atrasados.  Porque nos deitamos tarde e porque é segunda feira.
Depois de toda a atribulada manhã, quando finalmente estou a caminho do trabalho a calma volta outra vez. O caminho, se a música for bem escolhida, pode estar a competir para o melhor momento da  minha segunda feira.
Enfim, a manhã passa-se a organizar a semana que aí vem. Preencho a agenda, prometo fazer isto e aquilo e ir correr amanhã de manhã.
Da parte da tarde, sorrio porque está quase na hora da familia se reunir outra vez. Às cinco horas vôo para casa. Quando estamos todos em casa, depois de mimos e abraços começa tudo outra vez. As bulhas, a desarrumação, as brincadeiras, os gritos, os banhos e os trabalhos de casa.
Eu, entre lhes dar atenção e fazer as sopas, os cereais, e os iogurtes (não sei onde tinha a cabeça quando resolvi que era tudo para fazer à segunda) e o jantar, considero o fim da tarde de segunda feira o mais dificil de todos.
Mas, depois quando nos sentamos à mesa para jantar fico aliviada e feliz pela nova semana que começou (e depois na verdade, felizmente ou infelizmente num instantinho é fim de semana outra vez e, noutro instantinho domingo à noite outra vez…).
Anúncios

4 thoughts on “A famigerada segunda-feira

  1. Como a compreendo, no domingo à noite apetece mandar tudo às urtigas, o dinheiro, o trabalho as obrigações… e viver da família, do amor de mínimo indispensável, mas não é possível e irrita-me tanto não ser possível, mas depois venho aqui e sinto-me um bocadinho mais tranquila. Muito obrigada. Beijinhos

  2. aqui passa-se o mesmo, no final do dia de domingo começo a ficar virada para dentro, quase zangada e irrequieta e já sei que é esta coisa de a semana estar para chegar. é o que dizes, já não quero mandar os filhos para a escola, não quero ir trabalhar…
    e ontem, quando o final do dia foi chato para caramba, pior fiquei. só hoje é que estou a entrar na semana… bolas, que coisa, esta dos ritmos 🙂 dão-nos segurança mas também não nos deixam dormir

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s