Sobre poupar (e lá se vai outra vez o blog cor de rosa) 


  


Quem nos conhece bem sabe que a nossa principal dificuldade na vida são as questões financeiras.

Claro que não é por acaso que estamos todos em casa  cedo e tudo tem um preço. Infelizmente que assim o é – a meu ver não deveria haver preço a pagar para ter a familia reunida ao final do dia,mas enfim.

Confesso que às vezes custa, mas  tento  muitas vezes pensar  que de facto é nas situações de “crise” que surgem as melhores ideias e as grandes mudanças. 

Não sei como seria a nossa vida se sempre tivessemos vivido com “muito”. Mas tenho a certeza que não nos teriamos lembrado de fazer muitas das coisas que fazemos. Nunca nós teríamos lembrado, por exemplo, da “Cena”, nem de ir correr à beira rio de madrugada, nem de costurar a roupa dos meus filhos, ou nunca nós teríamos lembrado de fazer tábuas de madeira nem de ter uma horta. Provavelmente não saberiamos fazer metade das coisas que sabemos pois nunca teriamos precisado (não tenho bem a certeza porque, na verdade, temos muito gosto em fazer as coisas).

E, existe outra coisa que tem sido muito importante : a aprendizagem que vamos fazendo ao nível da poupança familiar. Com quatro filhos e um cão é preciso uma boa ginástica para conseguir sobreviver a um mês de ordenados.

Bem sei que é um tema batido nos tempos que correm, mas ando há muito para o fazer – vou partilhar convosco as dicas cá de casa, (mais ao nível da alimentação , compras etc. para viver bem e feliz com os cintos  apertados):

 
DICA 1: a Ementa semanal. Normalmente é feita à sexta feira mas pensada de segunda a domingo. Gosto de a fazer com um livro de receitas ao lado, mas por vezes faço só de cabeça. Permite fazer refeições mais econômicas e saudáveis  e saber precisamente (ou aproximadamente) os ingredientes que vou precisar.
DICA 2: compras só  UMA vez por semana. haja o que houver. Só  vamos (eventualmente ) à mercearia da esquina reabastecer -nos de fruta e alguma verdura que não haja na horta. E perguntam-me  vocês : “mas, e se acaba qualquer coisa?” Se acaba qualquer coisa vivemos sem essa “coisa” até voltarmos a ir às compras. 
DICA 3: as compras são feitas à sexta feira de forma a ter um fim de semana mais “rico” assim as coisas melhores e mais frescas e as “guloseimas” usam-se ao fim de semana.
DICA 4: as refeições são feitas a contar com 8: nós os 6 mais nós os dois pais a levarem “marmita” para o trabalho no dia seguinte. 
DICA 5: as refeições “giram” mais à volta de massas, legumes e leguminosas do que de carne e peixe. Eventualmente, se queremos comer um bife podemos sempre cortá-lo em tiras e saltear com legumes num wok. Assim dois bifes dão para toda a familia. 
DICA 6: Não  fazemos refeições fora. Na melhor das hipóteses preparamos uns snacks ou sanduiches e levamos para um jardim ou praia. 
DICA 7: não há bolachas nem bolachinhas nem cereais comprados – até podem ser mais baratos  do que os feitos em casa mas, para além de viciantes, são irressitiveis, pelo que os miudos os comem não por terem fome mas por gulodice. Faço um bolo ou dois por semana é a nossa guloseima principal. (Não digo que os nossos filhos não comem chupas ou gomas ou bolachas de chocolate, claro que comem, só não costumamos tê-las em casa.)
DICA 8: apesar de todos sabermos que não se deve levar as crianças ao supermercado, às vezes não é possivel e por isso,quando eles têm mesmo de ir podem escolher um presente para cada um. A regra é que têm de procurar alguma coisa que seja “zero virgula” – (aprendi com uma amiga, mãe de quatro, que tem muitas vezes o marido fora). Ou seja, menos de um euro. Assim até se torna divertido para eles, andam à procura do melhor “negócio” possivel com menos de um euro, podem levar uma “goluseima qualquer e não corremos riscos de gastar uma grande fortuna (nem da tipica birra de supermercado). E ainda aprendem desde cedo os números decimais. 
DICA 9: ca em casa a semanada é amor.

DICA 1o: Reutilizamos tudo o que é possivel: desde as borras de café para a nossa caixa  compostagem até às embalagens de cartão para os desenhos do Francisco

Tenho a certeza que temos muitas mais  dicas (vivo a inventá-las) . Mas também  tenho a certeza que vocês têm muitas para nos dar. Lembram -se de alguma? !

Anúncios

22 thoughts on “Sobre poupar (e lá se vai outra vez o blog cor de rosa) 

  1. 11. Aprendi com o livro da família ultra numerosa a fazer compras de secos (tudo menos verduras/legumes/frescos) online, uma só vez por mês. Apesar do transporte (oferecido no mês de aniversário do titular da conta) ser pago, permite controlar os gastos, como escrevi aqui https://maegazine.com/2015/09/08/regresso-as-aulas-3-gestao-das-refeicoes-com-pdf/
    12. Roupa em 2ª mão. Para eles, se não passa de família/amigos, há lojas bestiais com coisas bestiais em 2ª mão. Em Lisboa? Kid to Kid. Para nós Lx Factory, Outra face da Lua na Av. Al. Reis para jeans lindos e de marca (G Star, D&G, Miss Sixty) por 5 ou 15€ 😉

  2. Adorava este blog e achava que realmente vocês faziam tudo para poupar. E depois li que tinham empregada! OK se podem ter empregada essa coisas de fazer a roupa e os cereais e cenas assim parecem-me mais falsas! Ainda assim, têm uma boa dinâmica familiar. Lá isso têm!

    1. Olá Ana . Sim, são opções. Se calhar se não tivesse esta ajuda de umas horas não precisava de poupar noutras coisas. De qualquer forma a nossa vontade de fazer as nossas próprias coisas é muito verdadeira.

      1. Se eu pudesse, preferia mil vezes ter uma empregada umas horinhas, só mesmo para o essencial do que comprar muitas coisas feitas, porque a dinâmica de fazer as bolachas, os cereais, tratar da horta, etc é muito mais divertida para os miúdos do que lavar, passar e arrumar roupa, limpar o pó, etc. Acho que a vossa opção é muito mais vantajosa, quer monetariamente quer em prazer de realiza as tarefas. Percebes? Ótimo post Maria. Beijinhos

      2. Concordo Maria e Flávia! Como tudo na vida são opções. mas mil vezes pagar para não ter de limpar, esfregar e passar a ferro e poupar noutras coisas. E acima de tudo não nos desgastarmos com essas tarefas para poder ter alegria e energia para todas as outras que faz em família!

  3. Bom post, Maria. Aqui há ano e meio tive(mos) a constatação horrível de, uns meses seguidos, estarmos a gastar mais dinheiro do que recebíamos – e que não demoraria pouco tempo a chegar ao “vermelho”. Claro que a minha reacção imediata é pensar “deve haver um lifehack para isto”, e depois de andar pela web descobri que uma das soluções possíveis (para distraídos como eu) é mesmo fazer o clássico e tradicional “orçamento”. Tenho uma app que ajuda, mas no fundo no início de cada mês vemos quanto dinheiro temos e distribuimos o dinheiro por todos os gasto planeados. A filosofia é “every dollar has a job”, seja “poupança” , “supermercado” ou “eventos sociais “.

    Começar a fazer o orçamento, e a registar todos os gastos (esta parte é a mais chata, mas talvez mais importante ao “inicio”, para perceber como gastamos o dinheiro), ajudou a perceber onde gastávamos dinheiro mal gasto e a (tentar) ter sempre bolsas de dinheiro para “emergências” – o carro que vai à oficina, o premio anual do seguro do carro, etc.etc.

    Ficámos MUITO mais eficientes a gerir o dinheiro lá em casa, nalguns meses dá para poupar algum (nem sempre) a principal desvantagem é que passámos a jantar ainda MUITO menos fora de casa. 🙂 Tenho muito a sensação que no supermercado é que ainda gastamos muito dinheiro, creio que morar em Lisboa também não ajuda… hei-de experimentar os modelos de comprar por atacado, saindo da cidade, ou talvez o online.

    1. Obrigada André. Sabes que ando há muito tempo para fazer essa cena do orçamento. Mas tenho medo porque sei que vai dar que é totalmente impossível o nosso orçamento familiar. Acabo por adiar uma contas que se vão acumulando até chegar um extra (subsídio , et c) que uso oara Pagar esses atrasados… Beijinhos até breve ! (Poupem lá uns trocos para virem à Cena) 😜

  4. Uma família numerosa exige muita ginástica em todos os aspetos, quer sejam orçamentais, logísticos, emocionais, etc. Erradamente (tenho perfeita noção disso), acho que uma forma de poupar é não ter empregada, visto que aquelo dinheirinho pode sempre esticar para comprar uma coisinha para mim ou para as miúdas. A verdadeira realidade é que (só tenho 3 filhas) eu descambo com tanta roupa e casa para arrumar, desato aos berros, fico mal humorada, ando de aspirador em riste a tentar ter a casa minimamente limpa, passo os sábados de manhã numa loucura desenfreada para organizar tudo….. Uma santa amiga bem me diz, paga alguém para te ir ajudar, vais ver que é o dinheiro mais bem gasto da tua vida…eu sei que ela tem razão e se a Maria tem a esperteza para o fazer é de louvar, porque só assim ela consegue todo o restante equilíbrio que tanto admiramos nela.
    Bjs

    1. Olá Márcia. Como eu conheço este filme que aqui conta (não é por acaso que fiz a entrevista à Maria e digo #fabiennelepicsaidomeucorpo 😉 ) https://maegazine.com/2016/05/27/tudo-o-que-sempre-quiseste-saber-da-maria-do-62/

      Também (só!) tenho 3 filhos e, desde há poucas semanas, tenho uma empregada doméstica 3h/semana. Faz milagres chegar a casa e ver a banheira, o chão da cozinha, o fogão a brilhar. 3h a menos de chatice para nós, 3h menos de carga a carregar, que delegamos em outrem. https://maegazine.com/2016/02/03/vamos-falar-sobre-o-burn-out-materno/

      Cada um sabe do seu orçamento, mas se o mesmo não estica, uma possibilidade é ponderar um paitrocínio ou mãecenato… se eles puderem, claro.

      Coragem, que (só) (ahahaha) 3 é dose, a mais stressante, dizem 😉 http://www.today.com/parents/mom-survey-says-three-most-stressful-number-kids-6C9774150
      abraço solidário

  5. Muito fixe, Maria! Óptimas dicas. Lá em casa a nossa regra de ouro da poupança é a marmita e o aproveitamento da nossa roupa ao máximo. O próximo passo gostava que fosse as compras online, que além de não comprarmos extras também nos poupa tempo em supermercados (coisa que não gosto).

    1. as compras online são optimas em todos os aspectos: TEMPO e dinheiro (comprar exactamente aquilo que se precisa sem dispersões….)… e não carregar compras (moro num 4º andar sem elevador!)
      Dia 1 a lista é sempre a mesma, os produtos/marcas vão variando consoante o que tiver em promoção…

  6. Ola, eu não faço menu semanal antecipado. Quem vai ao supermercado é o meu marido que gosta de procurar todas as pechinchas e promoções, assim, dependendo do que trás para casa o menu semanal é construído. Às vezes, por falta de tempo, comemos torradas, algo pré-cozinhado ou comprado num self service. Não gostamos, mas por vezes não dá. Também temos horta, faço iogurtes e bolos caseiros, os cereais de compra só podem ser comidos ao pequeno almoço do fim de semana e faço um orçamento mensal (existe uma pagina do excell pre-formatada que ajuda a construir o orçamento). Se tenho desvios, sim tenho pois o dinheiro é contado ao cêntimo, mas também tenho alguém que vem 1 vez por semana limpar a casa, pois se não fosse assim teria de pagar a um terapeuta para me ajudar a controlar o mau génio. Beijos

  7. Olá, eu tb tenho orçamento para presentes de anos de amigos dos meus filhos (são 4). Recebo todos os dias um alerta com os livros do dia durante a feira do livro. Compro alguns brinquedos nos 50% do Continente.
    Tenho “listas”para tudo o que precisamos num caderno, para evitar desviar-me do essencial.
    Quanto a roupa tenho a sorte de passar e receber, entre família e amigas. Volta e meia , consigo fazer alguma coisa para as raparigas.
    Sapatos, e outros artigos mais caros, género casacos de rua de inverno, tem a sorte de receber de presente de anos.
    Estou sempre atenta a promoções (à seria).
    O supermercado é controlado (lista), ementas das refeições idem.
    Os três mais velhos têm os seus mealheiros (3 cada um, para separarem o poupar, gastar e dar) para começar a aprender a lidar com dinheiro.

  8. Boa noite Maria. Obrigada pelas suas partilhas neste blog. Gostaria de lhe pedir para partilhar as refeições que leva para piqueniques. Faço muitas vezes e faltam-me ideias para fugir dos salgadinhos e das sandes.

    1. Faço imensas saladas – sobretudo de feijão frade com atum e ovo – mas também de massa fuzilo com tomate e queijos , grão com qualquer coisa etc. o que há em casa , que não se estrague fora do frigorífico e que se coma frio. ..

  9. Querida Maria, antes de mais, muito obrigada por tudo o que tens partilhado aqui. Venho aqui praticamente todos os dias espreitar se há alguma novidade (essa doidinha que aparece da Finlândia nas estatísticas do blogue -.-)! És uma inspiração para mim. Uma coisa, em relação à dica 1: já tentei fazer menus semanais mas não correu muito bem, porque cá em casa somos muito de “matar desejos”. E então acontece que no jantar que planeámos fazer sei lá caril de lentilhas com arroz (algo que adoramos), o que nos apetece mesmo é subway caseiro, e se não atendemos ao desejo, bem, fica aquele desconsolo 🙂 não vos acontece? Abraço muito grande

    1. Olá Ana!! Obrigada que bom saber que tenho pessoas a seguirem me na Finlândia !! Uau! Olha relativamente aos desejos é uma das razões de ter o menu e contraria-los. Assim comemos o que ‘temos’ se comer ( que normalmente é mais saudável do que aquilo que queremos comer heheeh. ) Deixamos os desejo para o fim de semana e aí comemos tudo o que nos apetece ! Beijinhos de Portugal até a Finlândia !

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s