Os Alfajores


Tenho a mania que sou autodidata. Mas é mentira, sou é uma grande trapalhona. Faço tudo em cima do joelho e dou-me por satisfeita. 

Então, tirando temas de psicologia, nunca tinha feito um workshop. Desculpem se sou uma desilusão, mas aprendi costura e tricot por vídeos no YouTube (tem muito pouco de glamour esta frase, bem sei, mas é assim mesmo que eu sou. Glamour, zero). 

Então vou explicar o porquê de ter “roubado” hoje duas horas do final do dia à minha família, no meu primeiro workshop da vida: há uns anos atrás, na altura que inaugurou o Mercado da Ribeira (ups, afinal tenho imenso glamour até vou a sítios da moda quando inauguram!) experimentei um biscoito que me pareceu apetitoso. Chamava-se Alfajore e descobri que era um doce típico da América do Sul. Foi amor à primeira vista. Uma bolacha leve e branquinha com doce de leite no meio. Um crime de tão bom. 

Não voltei ao Mercado da Ribeira – afinal não me dou mesmo bem com o glamour  (e muito menos com consumir seja o que for fora de casa). Mas nunca me esqueci da fatídica bolachinha.

Enfim, adiante que o post já vai longo e ainda não disse nada. 

A minha cunhada Carmo, já famosa pelos seus brigadeiros abriu uma outra loja ( O Ponto mais Doce da Cidade ) que vende não só os seus mega Ponto Condensado como uma série de outras marcas de doces portuguesas bem conceituadas. Acontece que n’O Ponto mais Doce da Cidade – para além de venderem doces fazem nada mais nada menos que w-o-r-k-s-h-o-p-s-de-d-o-c-e-s. Pelo que descobri que, no meio do programa – todo ele apetitoso (podem ver aqui) hoje iam ensinar a fazer as tais bolachas que me deram a volta à cabeça. 

A Valeria, peruana e apaixonada pelo que faz ensinou-nos a fazer Alfajores do Perú, do Chile e da Argentina (e ainda com a variações de cacau e raspa de laranja).

 O resultado foi não só um fim de tarde muito divertido, como agora – o pesadelo tornado realidade – já sei fazer as tais bolachas. E o melhor (ou pior) de tudo: trouxemos para casa todos os Alfajores que fizemos. (Ao menos redimi-me bem da minha ausência ao chegar a casa cheia de bolachinhas recheadas). 

Agora tomei- lhe o gosto. Venham mais workshops. Descobri que tem imenso glamour e… tomei-lhe o gosto!

Anúncios

3 thoughts on “Os Alfajores

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s