Serões


Para mim não há como o serão. Já aqui o disse muitas vezes, mas não canso de o repetir. Acho que o serão é a parte mais estruturante da nossa vida enquanto família. 
As manhãs são boas, muitas vezes – felizmente. Mas, por mais que se consiga algum abrandamento matinal, é sempre curta (sendo que agora como frio é bastante pior).
Os dias são longos e estamos todos separados uns dos outros. Escolas, trabalhos, entra do carro, sai do carro, apanha o comboio, pega a bicicleta – temos de tudo lá por casa. 
Quando regressamos, no final do dia, ao aconchego da nossa casa, matamos as saudades uns dos outros com longos beijos e abraços. E depois, uns brincam, outros fazem trabalhos (sem comentários), e entre fazer o jantar, uma ou outra actividade e o banho – que, felizmente agora no Inverno só  existe dia sim dia não (poupamos água e é menos uma “obrigação” a acumular ao dia já tão preenchido das crianças) o final da tarde, mesmo tendo tempo, é sempre curto. 
O descanso começa então à hora de jantar.
E a partir daí é só família.
E, por isso depois do jantar gostamos de “esticar” um bocadinho o serão nalgum programa que dê para todo e que seja, simultaneamente divertido e calmo. 
Este programa varia bastante, por exemplo até há uma semana atrás estivemos a ver uma série; temos visto bastantes e, curiosamente, são todas antigas, não por um gosto nostálgico daquilo que é do passado mas sim porque não temos encontrado nos tempos modernos séries infantis com tão bons desenhos, mensagens e histórias – já para não no factor “temporada” que confesso que é uma questão com a qual não lido muito bem. Vemos séries que têm um principio, um meio e um fim. Não se prolongam em sequelas infinitas para lucro das produtoras e “não frustração” das crianças coitadinhas a terem de lidar com o “fim” .
Todos gostamos, todos vimos (a Jasmim ainda não se prende muito mas lá vai andando de colo em colo). É a TV não como um – sentateaíavertelevisãoenãochateies – mas sim como um  bom programa para todos. 
 
Temos jogado também alguns jogos – vamos variando e entre o monopólio, o cluedo e até xadrez – que aprenderam no verão e adoram, até a Luz!  Agora andam(os) todos numa fase do típico jogo da glória, que é um sucesso e, ainda por cima temos um tabuleiro-tapete em formato gigante o que torna tudo ainda mais divertido. 
 
Há dois dias, e uma vez que terminámos o Conan – O rapaz do futuro – voltámos ao nosso Clube de Leitura. Já lemos o Tom Sawyer, o Princepezinho, alguns d’ Os Cinco e Alice no País das Maravilhas. Agora (re)comecámos  “Alice do outro lado do espelho” – já o tinhamos começado há tempos mas, por alguma razão ficou a meio. Embora os mais crescidos já tenham o gosto pela leitura e por seguir sozinhos os seus próprios livros (e as mais pequenas gosto pelas pequenas histórias ilustradas), este é o “nosso” programa familiar. Para todos. Todas as noites lhes lemos um bocadinho. É mesmo muito giro  perceber como funciona, para as crianças,  a “continuidade” de uma história.  Desabituadas pela sociedade a esperar e habituadas a ter tudo logo e quando querem, aprendem a ficar no suspense da continuação daquele momento. Aprendem a esperar, aprendem a não esquecer de um dia para o outro (ou mais) aquilo que ouviram. Estimula a memória e a imaginação. Aguça a curiosidade e, sobretudo, fortalece a concentração (para conseguirem seguir o “o fio à meada” de uma história que nem imagens tem têm de estar mesmo calmos e concetrados).
Para além de isto tudo é um programa onde  estão em sossego e, tenho a certeza, lhe vai dar uma boa noite de sono, tranquila e cheia de sonhos. No país das maravilhas.

8 thoughts on “Serões

  1. Acho que não há mal algum com algumas das séries para os miúdos e muito menos com histórias com princípio meio e fim.
    Sigo o seu blogue e gosto muito mas há sempre um tom de crítica em tudo o que diz.
    Quando diz bem da sua forma, sem reparar diz mal da forma dos outros. Esquece-se quando crítica a sociedade que faz parte dela e os seus leitores também.

    Um beijinho e espero que tenha isto em atenção.

    1. Olá Teresa, antes de mais obrigada por seguir o blog! Eu adoro histórias com princípio meio e fim, e era isso que tentava dizer no post. Todos os dias conto uma às minhas filhas.
      Relativamente ao resto, este blog é uma partilha muito pessoal da vida com que me identifico. Faço parte da sociedade, sem duvida e também os meus filhos ( que também vêem algumas séries de hoje em dia – eu é que dispenso), mas gosto de a questionar mesmo que isso saia, por vezes em tom de crítica (e muitas vezes para comigo mesma!) Obrigada pela sua opinião
      Um beijinho. Maria

  2. Olá Maria, já a sigo há algum tempo e partilho muitas das suas opiniões e posições perante a vida e a sociedade em que vivemos. Também nós cá em casa temos desses serões, entre jogos de tabuleiro e sessões de leitura e espectáculos de produção caseira(!) é muito bom observar/constatar que as sementes que plantamos vão aos poucos crescendo sólidas e dando os seus frutos. Continue assim, parabéns.

Deixe uma Resposta para Célia de Sá Pimenta Augusto Caixa Célia Caixa Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s