Carnaval pelo Ribatejo


Quando o teu orçamento familiar não  permite grandes divagações nas mini férias de Carnaval tens duas opções: lamentar o facto de não poderes levar a tua família numa viagem, ou improvisar uma viagem até onde o teu orçamento te permita ir.

Ou seja podes sempre viajar. Seja  no teu bairro, na tua cidade ou, se se reunirem as condições podes até ir mais longe. E podemos ir tão longe no nosso pequeno país (foi bem apanhado  o slogan“vá para fora cá dentro!”)

Confesso que estamos seriamente decididos a conhecer melhor Portugal e, na verdade, estamos também a aproveitar-nos do facto de os rapazes andarem completamente viciados em História de Portugal (e tudo o que trate de reis, descobrimentos e outros grandes feitos) para, fazermos passeios em que se consegue integrar o melhor que a natureza tem com o melhor que a história nos deixou. 

E tem sido um sucesso.

Estes dias rumámos até ao Ribatejo sem fim. Temos amigos que lá moram (e que não se importam de receber 6 pessoas e 2 cães em sua casa – na verdade já estão habituados) o que ajuda bastante pois temos uma casa onde ficar, confortável e em boa companhia. 

Conheço mal esta zona do país – apesar de ser mesmo aqui ao lado – mas, apesar de tudo,  muitos dos sítios que visitamos e que nos propusemos visitar já os conhecia da minha infância (eu e a minha mãe sempre fomos umas boas parceiras de passeatas). 

Enfim, introdução à parte. Entre a casa acolhedora dos nossos amigos e alguns passeios nas redondezas foram dias com sabor a férias. 

O castelo de Almourol, embora bem mais pequeno do que eu me lembrava dele (a escala da nossa infância é um tema que eu adoro pensar, como era tudo enorme!) é um programa que vale a pena. Tem o programa de ir de barco, que é sempre emocionante, dá para ter umas vertigens e ainda somos presenteados com uma linda paisagem. 
Mas, apaixonada apaixonada fiquei pela pequena aldeia piscatória de Escaroupim. Cheia de gente simpática e acolhedora com quem apetece ficar a conversar e a saber tudo sobre aquela terra. As casas são coloridas e estão muito bem estimadas e é com gosto que uma simpática senhora nos mostra a casa onde viveu o seu pai, as redes que usava para apanhar o peixe e que tipo de peixe se apanha ali. 

A calma que a aldeia transmite é indescritível. Visita-se em 10 minutos, mas vale mesmo a pena. 
Enfim, por conhecer ficaram ainda muitas coisas, para um próximo programa. Mas estes dias, já ninguém nos tira. Mesmo aqui ao lado.

Anúncios

One thought on “Carnaval pelo Ribatejo

  1. Escaroupim é linda! Que belo passeio 😉
    O Ribatejo tem muitas surpresas, para além da tradicional lezíria… a minha “casa” de férias na infância 🙂

    Aproveito para comentar o quão maltratado está o nosso Tejo, é uma tristeza ver a poluição a agravar-se. Há descargas poluentes a entrarem no Tejo, em diferentes zonas, começando desde logo por Espanha…
    Precisamos preservar o que (também) é nosso!
    (peço desculpa se aproveitei este espaço para comentar, mas se não nos alertarmos uns aos outros… não resolvemos e… juntos, somos realmente mais fortes. Obrigada!)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s