Clássicos de Junho

Sou tão imensamente repetitiva quando falo do mês de Junho.

Todos os anos as mesmas coisas. Mas nunca me canso.

Felizmente há vida para além das noitadas e da praia.

Hoje vou falar de (alguns) clássicos lá de casa que o Verão – e este mês em particular- traz com ele.

Primeiro clássico : ginjinha. É simples de fazer, e sei que vai saber mesmo bem quando chegarem as noites frias de inverno, seja para a oferecer aos nossos clientes da Cena, como presente para alguém especial ou mesmo para nós. No ano passado não a fizemos e tivemos algumas reclamações…

A receita está no livro “Viver Devagar”. Para quem não o tiver e quiser a receita pode dizer que eu dou – e juro que não fico chateada! Tenho a certeza que, mais tarde ou mais cedo o vão comprar, nem que seja com o subsídio de Natal. Ahaha.

Segundo clássico: As compotas. A fruta boa desta época tem de ser bem aproveitada para quando chegar o frio e a fruta com menos graca. Para já comecei com a de alperce – uma das minhas preferidas- mas ainda penso fazer muitas mais. A ideia é só uma: armazenar no Verão para consumir durante todo o ano.  Estes alperces já estavam bastante maduros – o que para a compota é óptimo, para além disso o Senhor Eduardo, da mercearia vendeu-me dois kilos deste doces alperces por apenas 1€, caso contrário iriam-se estragar.

Confesso que, como tudo, fiz a compota a olho. Tirei alguns mais estragados e os caroços (imagino que tenha ficado com 1,5kg no total). Depois de lavados cobri-os com 1kg de açúcar amarelo e assim os deixei durante uma noite.

No dia seguinte foi só levar esta mistura ao lume até atingir o ponto desejado (ponto estrada). Este 1€ de alperces deu me para 5 frascos bem cheios e ainda um mal cheio.

Terceiro clássico: Gelados caseiros de melancia. Este fim de semana o calor foi demais e vingámo-nos nos gelados  (simplesmente melancia batida e congelada nas formas de gelado – tenho várias, umas de pauzinho e outras género “Callipo”). Um sucesso e muito refrescantes!

Quarto clássico: apanhar ramos de alfazema e fazer jarras de cheiro. Guardá-las para fazer saquinhos de cheiro ou, simplesmente oferecer a amigos queridos.

Quinto clássico: comemorar o solstício de verão. Seja de que forma for. Este ano foi noite de santos e sardinhas (sexto – e o melhor – clássico). Carrinhos de choque, sardinhas, imperiais e farturas. 

O Verão chegou. E que bom que é quando chega o Verão. 
Ps. No meio de tudo isto sempre um sentimento estranho, de culpa e tristeza e choque com a tragédia do fim-de-semana, nem por um segundo deixei de pensar no que aconteceu. Revoltam-me estas tragédias que TODOS OS ANOS o Verão traz com ele. O que mais será preciso acontecer para que os nossos governantes abordem este problema de forma séria? Da minha parte acho que pelo menos vamos tentar fazer um esforço para durante o inverno nos lembrarmos também do flagelo do fogo e pensar no que cada um pode fazer.

Mas isso será assunto para um outro post.

5 thoughts on “Clássicos de Junho

  1. Adoro TODOS os clássicos de junho. Tão simples e genuíno. Como sempre.
    Ando doida à procura de paus e formas de gelados para crianças. Se tiver um tempinho, posso saber onde arranjar?

Deixe uma Resposta para Carla Rézio Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s