Piquenique

Na verdade não estava a pensar fazer um post sobre o nosso piquenique de ontem, sobretudo porque tenho a mania que não posso repetir posts sobre os mesmos programas. Mas, dado o carinho e entusiasmo mostrado nas “histórias” do instagram por vocês, cá vai:
Falo pouco no meu trabalho, mas acho que já perceberam que, sou psicóloga e trabalho na área social já há mais de 6 anos. Diz quem estuda estas coisas que, o trabalho social está no top dos trabalhos mais stressantes e desgastantes. E o meu não é excepção. Isto já para não falar no cansaço que esta quinta gravidez me está a causar…
Mas enfim, aqui não é sitio para falar de trabalho, só para explicar que há dias que são mais difíceis do que outros e ontem foi um dia especialmente difícil.
Então, o Francisco que não gosta de me ver em baixo, lembrou-se de organizar um piquenique. E, com o tempo que estava o piquenique tinha de ser mesmo … na sala. Já não é a primeira vez que o fazemos e é sempre um programaço. Saímos da rotina, petiscamos coisas boas, enfim é sempre uma animação. Ontem tínhamos palitos de cenoura com molho de quejo e mostarda, maçarocas (é um clássico dos nossos piqueniques as maçarocas), croquetes, pistácios, manga, maracujá, gomas (sim gomas) tostinhas com queijo e uma massa com legumes para que ninguém ficasse com fome (e porque temos sempre que pensar na marmita para nós dois). O piquenique é livre e cada um põe o que quer no prato pelo que tínhamos alguns pratos com: gomas, croquetes, queijo e manga – ao mesmo tempo. Mas é assim que se faz um piquenique anti-neura: sem regras (até há quem coma com os pés como podem ver numa das fotografias acima)
Os cães também tiverem direito a piquenicar e “jantaram na sala” ideia do Jacinto que achou que eles estavam um bocado ciumentos de nos verem a comer no chão – e com toda a razão!
Acabado o piquenique ainda animados do tão divertido programa enroscámo-nos uns nos outros e fomos até ao cinema também em nossa casa. Peter Pan esse clássico que todos adoram foi o filme escolhido para terminar a nossa noite. Escusado será dizer que a neura, já era e que, já não é a primeira vez que esta técnica resulta de verdade.
Não precisa de ser um piquenique, mas muitas vezes fugir à rotina quando nos sentimos mais em baixo é uma boa forma de recuperar as forças, pôr as coisas em perspectiva e deixar o cansaço para depois.
Hoje, depois da noitada, foi mais custoso para todos acordar mas… who cares?, é sexta feira!!
Anúncios

4 thoughts on “Piquenique

  1. Este é um dos vossos programas meu preferido (que construção frásica é esta??). Já fiz algumas vezes a mesma coisa pela mesma razão e o Xavier amou, nós amámos e sem grande esforço tivemos um programaço (na primeira vez nem sequer alterámos o plano do jantar, passámos só para o chão com a manta de picnic e está feito!).
    Maria estou há uns 6 meses para te perguntar (só por curiosidade): tiraste o curso no ispa? este ano – passados 10 – voltei a estudar psicologia (tinha feito a licenciatura no iscte) e estou a fazer educacional no ispa. A AMAR!! Beijinhos aos 7 (!!)

  2. Ui, quando estou neura, a pior coisa que me podem fazer é tirar me fora da caixa! Incapaz de tomar iniciativas, fazer coisas divertidas…só quero que me deixem em paz! Se calhar foi mesmo essa a Ideia do Francisco, entreter as crianças e a Maria estar mais sossegada! Ideias para por na “mesa de piquenique”??
    partilhas?

  3. Que ideias fantásticas. Gostava de lhe perguntar como é a rotina diária com 4 filhos. Como se organizam desde o acordar até à hora de ir para a cama. Obrigada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s