querido diário dia 21 e 28 (e semana pelo meio também)

Estava a tentar escrever o diário da semana que passou, mas rapidamente desisti. Passaram muitos dias, todos diferentes embora todos iguais. Vamos fazer um resumo recapitulativo. Espero que percebam…

Destaco, desta semana da ausência de diário:

  • os anos da minha mãe, com um almoço só de irmãos, como nos velhos tempos
  • O domingo de sol e um grande passeio até ao rio, com todos, incluido os cães – que soube pela vida e pelo antigamente, embora oscilante feeling entre “isto é suposto ou é crime?” Estava muita gente na rua.
  • Durante a semana destaco as minhas manhãs de treinos HIT às 8 da manhã no meu jardim com a minha vizinha e amiga Vera e o meu super primo como PT.
  • Destaco a terça feira de carnaval , diferente mas eles divertiram-se
  • Também destaco o encontro do clube da leitura Slower. Não sou muito adepta das reuniões virtuais, mas esta foi mesmo boa. Primeiro porque já não nos encontrávamos há mais de um ano. Segundo porque podemos juntar leitoras que estão longe e não podiam estar presentes no encontro no Pavilhão Chinês. Terceiro porque é sempre bom falar de livros. Vamos ler “Terra Americana” já percebi que é polémico. Mas bom.

Entretanto o resto da semana passou-se como sempre. Tele aulas. Tele trabalho. Tele vida. Cozinhar. Limpar (ainda não o faço em tele) And so on. Umas saídas pelas redondezas e, felizmente, muito mais jardim. Não deixo de salientar que a história dos ecrãs me anda a incomodar: porque passam metade do dia em aulas no ecrã por obrigação e a outra metade a pedir-me para estarem no ecrã a jogar e eu, tudo o que quero é que eles larguem as porcarias dos ecrãs mas às tantas não tenho energia, nem tempo, nem espaço. Não gosto de dizer constantemente que não. Nem tenho sempre muitas alternativas para lhes oferecer alternativa (nem eles as querem procurar). Questiono-me muito sobre impacto que isto vai ter na vida futura deles. Como posso negar-lhes constantemente a única forma que têm de “estar” com os amigos?

Quando chega a sexta-feira tudo fica mais leve e feliz! Que melhor letra fez o grande BOSS AC ao inventar a musca “é sexta-feira …. yeeee” Muitos jogos: Catan (joguei Catan durante toda a adolescência e agora ando feliz de partilhar este jogo tão divertido com os meus filhos – todos adoram e o facto de ser metade sorte metade estratégia é óptimo para equilíbrio entre todos e para ninguém se aborrecer) Muitas setas e puzzles com os mais pequenos. Hamburgures na sala e gelados para a sobremesa,

E pronto, mais coisa menos coisa foi isto que se passou esta semana!

Sábado, chuva forte e intensa lá fora. Já tínhamos tido um lamiré de primavera pelo que, apetece menos o regresso do Inverno (e muito tem chovido este ano!)

O dia começou tarde, porque nos deitámos muito tarde na sexta feira a ver o Senhor dos Anéis – O Regresso do Rei

Pequeno almoço lento, de velas acessas porque lá fora o dia estava tenebroso. Enquanto o Francisco arrumava a casa eu preparei uma Feijoada para almoçarmos em registo domingo de inverno. Faltou a nossa Piki que temos tantas saudades que venha almoçar connosco ao Domingo, programa muito típico antes desta coisa começar ….(já ninguém pode contigo ó Covid!)

Depois do almoço o Luquinhas foi dormir e nós jogar Catan. A Jasmim não joga mas gosta de ver e entretem-se a brincar com outras coisas. Fiz panquecas para o lanche. Quando o Lucas acordou estivemos a brincar os 3 (eu ele e a Jasmim) durante horas – adora brincar mas são umas brincadeiras muito cansativas – brincar meia hora parecem 3…

Dei-lhes tostas mistas para o jantar – é sempre um sucesso – pois sábado é a noite de “date” – para nós fiz umas costeletas de porco preto com batata doce e cebola caramelizada. Eles foram ficando pelos quartos e sala e os rapazes juntaram-se a nós para umas jogatanas de setas – sempre um máximo. E pronto. Assim se passa um dia de confinamento, chuvoso e escuro.

Querido diário dias 19 e 20

Quinta feira:

O dia tinha tudo para correr bem. Comecei outra vez, apesar de toda partida, com um treino às 8 da manhã e tinha o dia bastante disponível para estar com eles.

Pequeno almoço super saudável e cheia de energia. Os rapazes já estão fechados no quarto a ter aulas – tão saudável não é?

Os cães têm ido menos para o jardim por causa da chuva e tem sido um desassossego em casa. Passam o dia a brincar o que é ao mesmo tempo amoroso e estafante. Fazem uma barulheira e desarrumam os tapetes todos. Interrompem reuniões e aulas on-line com os seus rugidos e ladrares. Cansam-me.

Gosto muito de ter a casa arrumada e muito pouco de brinquedos na sala, hoje a Jasmim resolveu fazer uma brincadeira querida com o Lucas. Era uma casinha na sala 😩 trouxe para a sala camas bonecos peluches panelinhas e malinhas. Tudo bem, estiveram entretidos durante imenso tempo mas, quando a brincadeira acabou não arrumaram nada, óbvio. O Lucas foi dormir a sesta e a Jasmim foi ver um filme. E eu, toda partida dos novos treinos só para me baixar preciso de uma bengala. Como arrumar uma casa inteira e uma sala caótica? Já sei! Espero pelo Francisco, ele arruma!

À tarde a Jasmim tinha reunião. Estava feliz da vida. Só tem uma reunião por semana e ADORA! Esteve horas a conversar com a educadora e com os amigos e eu a tentar acompanhar – liga o micro, desliga o micro, mostra o desenho etc- com os cães a brincar pelo meio, o Lucas a pedir-me atenção e a casa de pantanas.

Já não me lembro porquê, mas o dia foi uma confusão, a casa desarrumada não ajuda, mas andei de um lado para o outro, a fazer tudo sem fazer nada.

Quando o dia chega ao fim e sentimos que não estivémos lá. Junta-se a culpa, e os remorsos, tão típicos e ao mesmo tempo tão estupidos. Acontece, mas não é bom.

Que venha daí a sexta feira!

Sexta-feira

Incrível. Já alguém tinha visto o sol esta quarentena? Alguém se lembrava do que era ver o seu azul nem que seja pela janela ? Hoje foi um dia bom! Tinha uma reunião importante que correu bem. Os meninos (que não têm escola) foram para o jardim com o Francisco – e isto faz logo tanta diferença no dia! Jardim! . Quando a minha reunião acabou desci também.

Não por muito tempo porque o Luquinhas tinha uma reunião individual com as suas Mariana e Monica – suas educadoras. Que delícia vê-lo a mostrar a casa, os brinquedos e as manas tão feliz.

Quando o Lucas foi dormir vi o rei leão (o realista) com a Jasmim – as duas no sofá – foi mesmo bom. A Luz tem estado lá em baixo com os primos (que moram por baixo de nós) a jogar Catan e a ter aulas.

Depois do Lucas acordar, resolvemos ir dar um pequeno passeio. Não há muito para onde ir, a pé, mas dá sempre para arejar e aproveitar o dia.

Fim de tarde de setas com os rapazes. Noite de tacos – maravilhosos – e senhor dos anéis, parte II do filme II. Adormeci antes de meia hora de filme acho eu…

querido diário, dia 18

Hoje tudo correu melhor. Realmente não há dois dias iguais e, depois de dois dias confusos, fui presenteada com um dia tranquilo.

Meninos na escola logo cedo, já lhe estão a tomar o jeito. Não faço ideia se estão atentos ou a cumprir com as tarefas, mas sabem? Não quero saber. Vou tentando ameaçar com “se não fazem faço isto não sei quês não fazem aquilo não jogam e não isto e não blá blá blá”. Tento assim dar-lhes responsabilidade e autonomia. Acho eu.

Com a Luz é mais fácil. Tem uma aulas às 9h e depois faz trabalho autónomo e é responsável nisto. À tarde tem outra aula. é tudo mais leve na primária, mas na verdade parece-me bem mais produtivo do que uma manhã inteira em aulas sincronas em calças de pijama.

A Jasmim está cheia de vontade de fazer trabalhos e a sua educadora vai pedindo uns desenhos e temos umas histórias para ouvir. Hoje, enquanto o Lucas dormia a sesta consegui dar-lhe atenção durante algum tempo (coisa rat estes dias) e, as duas juntas fizemos coisas giras: brincadeiras, desenhos, cozinhámos (bolachas cobertas de chocolate enfiadas num pau como se fosse um chupa) e ainda jogámos Double – um jogo que as duas adoramos.

Ao fim do dia, os rapazes desafiaram-me para jogar setas com eles – ganharam-me os dois … acho que cada vez jogo pior ou então eles estão a ficas uns craques.

Ansiosa pela hora de fazer o jantar (já vos disse que adoro cozinhar?) – onde oiço a minha música bem alto e fico 40% abstraída do que se passa à volta- quer dizer mais ou menos porque eles estão sempre a aparecer na cozinha, hoje então ainda mais – fiz batatas fritas – e eles estão sempre a ir lá roubar batatas. Finjo que me zango, mas na verdade acho a maior graça e até o Lucas já tem truques para roubar batatas sem eu o ver.

À noite, depois de lhes contar um história adormeci quase instantaneamente. Ando cansada, e amanhã às 8h tenho outra vez o meu super treino!

Querido diário dia 16 e 17 ou “os primeiros dois dias da segunda temporada de tele-escola”

Tudo bem. Faz-se.

Não digo que não estejamos a conseguir mas é definitivamente uma maluqueira. Ora bem: os rapazes iniciam-se nas aulas por Teams às OITO em ponto. Sabem o que é OITO em ponto em frente a um computador ainda no escuro do quarto? É que Ainda é noite, temos de acender as luzes e cheira a dormir. Bem que podiam dar-nos mais meia horinha para um pequeno almoço mais tranquilo ou, pelo menos para poupar acender as luzes. Mas tudo bem. Faz-se. Apesar de tudo eles não se atrasam: calças de pijama por baixo, camisola por cima a disfarçar. Suponho que as remelas não se notem pelo vídeo – são obrigados a ter a câmara ligada o que significa que temos de ter imenso CUIDADO. Eu não tive assim tanto pelo que apareci de pijama várias vezes na aula do Ben enquanto, ainda ensonada, tentava arranjar qualquer coisa no computador do Jacinto que não se estava a conseguir ligar. Portanto, já sabemos entre as 8 e as 13 ninguém entra naquele quarto, caso contrário aparecemos no meio de uma sala de aula – faz me lembrar aquele velho e típico pesadelo de irmos nus para a escola. Mas agora é mais sinistro ainda. A escola inteira está em tua casa.

Tudo bem. Faz-se. Até chegar uma nota da professora de um deles a falar de desatenção na aula e que teve registo de comportamento insuficiente. Para primeira aula começa bem. Ok professora, vou falar com ele. É que eu até controlo que eles estejam em frente ao computador às 8 da manhã, e tento evitar que o Lucas faça uma birra maluca no chão do quarto deles à qual é impossível eles não olharem e manterem a atenção plena nas equações matemáticas. Mas às vezes não dá, sabe? Somos 7 por aqui e isto sem contar com os cães e o gato que também têm gosto em ir enrolar-se a brincar furiosamente no quarto-escola. Já para não falar que a pausa de um não é a pausa do outro: “FECHA A PORTA!” “CALA-TE ESTOU NUMA AULA”. Dizem aos gritos, como se estivessem realmente a dar essa importância toda à aula.

Eu entretanto vou tentando fazer as minhas coisas, e tentando que os mais pequenos façam pouco barulho, “os manos estão nas aulas” digo aos dois pequeninos espalhados em semi-auto-gestão. Tudo bem. Faz-se. Mas Ai o que me irrita saber que não podemos fazer barulho porque eles estão ali entre ter aulas e no chat com os amigos a ter conversas paralelas. Tantas coisas que podiam estar aprender se o formato fosse outro e não este -embora fingir que é tudo igual e debitar matéria durante 50 minutos – se já não é um formato em que acredito “ao vivo” assim nem comento….

Depois acabam as aulas síncronas “Mãe tenho até às 13 para fazer 18 exercicios” Ok, bora lá! Eu ajudo. Tira foto, manda foto, carrega foto. Tudo bem. Faz-se.

Corta para: “mãe, tenho fome” dito a espreitar pela porta com um ar importantíssimo de quem está a ter uma aula igualmente importantíssima. “Espera pelo almoço, agora não tenho tempo.” Ao meio dia, vamos lá despachar um almoço. Já agora adianto o jantar – oh merda – é bacalhau à Braz, tudo bem, vamos lá desfiar o bacalhau ao meio dia enquanto a massa do almoço coze e se fritam uns ovos. Ah espera, agora a Luz tem aula de Inglês. “Luz podes ir para a aula de inglês, prepara tudo que a mãe tem as mãos sujas de bacalhau?” “Depois levo-te lá o almoço à aula que agora ainda não está pronto”. Tudo bem. Faz-se.

“Mãe não consigo entrar na aula” ” Mãe posso fazer a aula no teu computador que o meu está sem bateria e não encontro o carregador?” “Podes mas daqui a nada preciso dele. Tenho de trabalhar e às 16 tenho reunião de pais da sala da Jasmim. (oh não, Lucas não dormiu). Já a Jasmim anda a cortar papelinhos miniatura pela casa fora para um dos milhares de projetos que ela adora fazer “sim querida, faz o que quiseres o importante é estares entretida… “

Tudo bem. Faz-se. Os rapazes já acabaram às aulas há horas mas continuam enfiados no quarto em frente aos computadores . Estão a disfarçar. E eu também. A Luz fez queques de limão outra vez , tão querida. Sem ajuda sem nada, mas claro, a cozinha toda desarrumada e.. a cheirar a bacalhau. Ah é verdade!: . “BEN!!! tens que ir para a aula de piano daqui a SEIS minutos, não te atrases e POR FAVOR não me interrompam agora que eu vou para uma reunião”. Lá vem o Lucas, adora sentar-se ao meu colo quando vou para reuniões. Tudo bem. Faz-se. Depois de me pôr a mão dentro da camisola (um hábito que mantém desde que descobriu as coisas que as mãos podem fazer) a meio de uma reunião adormeceu, querido demais no meu colo. Como o adoro.

Ai como é bom, viver devagar.

Nota: estes dois dias estão misturados aqui e também na minha cabeça. Não sei precisar o que se passou num dia e no outro. Mas acrescento que no meio, entre fazer uns cereais da força e ver o episódio mais assustador do Twin Peaks finalmente comecei os treinos HIT às 8 da manhã (faço tudo para me escapar a entrar novamente de pijama na aula deles)! Ahhaha E já sabem: o truque é ouvir música no banho! E, lembrem-se esta semana faria anos o Bob, oiçam as suas músicas e a sua mensagem. Vão se logo sentir melhor, don’t worry about a thing, cause every little things gonna be allright!

Querido diário, domingo dia 15

Domingo outra vez. Acordei ressacada da noitada de setas e minis. É o que temos, e é bem bom.

Manhã molenga, já se sabe, domingo de manhã, chinelar de roupão e fazer ovos quentes. Podia ter corrido melhor não fosse o Lucas dar uma sapatada no meu ovo quente que escorregou bem amarelo pelo meu roupão branco. Tudo bem. É só um ovo. E é só um roupão.

Acho que ando a falar demais em pijamas e roupões no meu diário , tenho de ter mais atenção. Não é muito sexy. Mas! Podemos ainda falar de banhos. Para além do banho dia sim dia não, gostava de vos propor outra coisa que pode mudar o vosso dia para sempre: peguem numa coluninha escolham as vossas músicas preferidas e levem para o banho com vocês, bem alto. É assim, se vivemos dentro de 4 paredes tem de ser o melhor possível. E pequenos gestos como uma Velinha na mesa e música no banho podem dar pequenas-enormes alegrias ao longo do dia.

Na verdade passámos o domingo a preparar a casa para segunda. Arrumar, arrumar pôr em ordem e.. imprimir horários encontrar passwords, afiar lápis e preparar cadernos. Segunda feira às 8 da manhã tenho dois a entrar em aula. Outra às 9. Enfim, vou passar o assunto à frente porque isto é um diário e não um artigo de opinião.

A Luz teve um workshop de brush lettering desde as 15 até às 18. Gostou imenso mas fiquei com um bocado pena dela – tanto tempo em ecrã na véspera de começar a escola-ecrã.

Enquanto isso, o Lucas dormia a sesta no meu colo e consegui ler durante uma boa hora. Inédito e maravilhoso.

Domingo passa rápido e, tudo a postos para a escola, casa arrumada. dar-lhes o jantar na cozinha porque, O domingo é nosso e, quem nos segue há mais tempo sabe bem que #pizzaéaodomingo não falha. Bem tarde porque os meninos ao domingo são difíceis para dormir. Momento alto do dia. Vamos lá cheios de força e sem stress.