Cinco anos de Luz

 

Quando eles fazem anos, os meus dias são cheios e felizes. Quero ter a certeza que têm o dia mais feliz do mundo e que guardem nos seus corações, para sempre, a recordação desse dia. E faço tudo o que está ao meu alcance para que tal se concretize.’   

Começámos ontem a comemorar cinco anos em cheio, cinco anos cheios de Luz. Cinco anos de amor.

Dei à luz a Luz numa madrugada da Primavera. E apesar de saber o que íamos amar loucamente esta miúda não imaginei a força que aí vinha. E o que ela nos tem ensinado sobre a alegria de viver.
Quando lhe perguntámos o que queria de presente disse que só queria um passarinho e um crocodilo e que não precisava de mais nada. E sei que isso é verdade e que ela ficaria feliz só com uma flor – a Luz adora flores – por isso este ano, enchi a casa de flores que trouxe do Douro especialmente para este dia.
Enfeitámos a casa e a sua cadeira, com sabor a primavera. O seu dia foi em grande, entre o pequeno almoço, a festa na escola e o jantar. Tudo tudo vivido com toda a intensidade e felicidade igual a ela.
No fim do dia, deitou-se feliz  com todos os cavalos, peixes, passarinhos e crocodilos à sua volta “era mesmo tudo o que eu queria”.  Disse a menina dos anos, dos animais e da natureza.
Parabéns minha filha da Primavera!
(Sábado continuamos a festa!)
Anúncios

Convite

 

img_2802img_2341img_059520140504-214734.jpg20140504-215409.jpgIMG_9558

Hoje o meu amor faz anos.

Entre o dia que faço anos e o dia que ele faz anos passa apenas uma semana. Uma semana de festa em que temos os dois a mesma idade. Já há 20 anos que é a nossa semana preferida.

E, este ano,para não vos maçar a enumerar tudo de bom que ele tem (que nós temos)
Lembrei-me de vos convidar a todos,  queridos leitores, a passearem pelo site de pinturas dele e verem uma das (muitas) partes que fazem de mim uma mulher orgulhosa.
Espero que gostem, porque tenho a certeza que ele vai adorar ver-vos por lá.

Lá vai ele


  

Lá vai ele, há nove anos a abrir o caminho.

Lá vai ele, sempre à frente, a desbravar a passagem.

Lá vai ele a mostrar a toda a gente que os filhos, apesar de crescerem, serão sempre pequeninos.

Lá vai ele a ensinar à sua mãe o que é isto de ser mãe.

Lá vai ele a provar à sua mãe que caberá sempre no seu colo.

Lá vai ele a mostrar a uns pais de quatro o que ainda está para vir (e o bom que isso é).

Lá vai ele a mostrar a toda a gente como somos mais felizes quando temos irmãos mais novos

Lá vai ele a ensinar, ao seu pai e à sua mãe, aquilo que não devem fazer quando querem educar um filho.

Lá vai ele, lá vai ele sempre sempre a mostrar o que é isto de amar incondicionalmente.

Lá vai ele, o nosso filho.

Lá vai ele o pioneiro. Lá vai ele o primeiro. O primeiro a ter um dente , o primeiro a fazer 1 ano, o primeiro a cair um dente. O primeiro a fazer 9 anos.

Lá vai ele…o meu amor

6 anos e muito amor

IMG_9433-0IMG_9434-0IMG_9435-0IMG_9436-0IMG_9437-0IMG_9438-0
Faz hoje seis anos que nasceu o nosso segundo filho. O nosso pequenino e doce Benjamim. Ou Ben.
Tem sido incrível vê-lo crescer embora,para mim ele seja um bebé…não podia fazer já 6 anos.
E, se ver crescer um primeiro filho é impressionante, ver crescer um segundo é-o ainda mais (ou de outra forma). Não sei se me consigo fazer explicar: Um filho  mais velho é isso que faz, crescer,  ser crescido, ter imensos anos. Os outros são bebés mas, afinal, de repente fazem SEIS anos. (significa que todos vão crescer?!?!)
No dia que ele nasceu, uma grande amiga minha olhou para ele, muito gordo, muito loiro  e disse “Tem cara de estrela de rock”. Achei que ela estava meia doida, onde é que se via naquele bebé rechonchudo alguma coisa relacionada com rock, mas enfim..
E ele lá foi, crescendo, com o melhor feitio do mundo, cada vez mais loiro, cada vez mais comilão, cada vez mais querido, cada vez mais doce, cada vez mais ele.
Até que, fez quatro anos e pediu uma guitarra de presente de anos. Nós demos-lhe uma viola de brincar. Ele não ficou triste, mas não era bem aquilo.
Quando fez cinco anos pediu outra vez uma guitarra, demos lhe uma guitarra que até funcionava e, embora de plástico ele não a largou. E, desde então, vive a dar concertos, a ouvir musica a escolher música, a inventar letras. Ainda não toca nenhuma nota (mentira, já sabe o Mi), mas isso para ele não é importante porque, como ele diz “é o rei do heavy metal” e para isso não precisa de saber as notas.

Agora que faz seis anos volta a pedir uma guitarra “mas desta vez mesmo à séria”. Adora brincar, adora legos, adora tudo, Mas só queria uma guitarra. De manhã, não precisou de desembrulhar o presente para advinar o que era. Os olhos dele brilhavam e, embora brilhem com bastante facilidade, este era um brilho de um sonho realizado (daqueles que fazem os olhos dos pais brilhar também). Pôs a sua nova guitarra ao ombro, ligou o amplificador e começou a tocar (ou a fazer barulho…) já não quis saber dos bolos em forma de guitarra que lhe fizémos, nem dos wafles que pediu para o pequeno almoço.

O  dia viveu-o feliz, com toda a intensidade que fazer 6 anos lhes dá.

Ai, como eu gosto de os ver assim, como eu gosto do dia de aniversário deles… como eu vivo para estes dias, mesmo que impliquem noitadas a fazer bolos, bolachas e pequenos almoços.
Parabéns meu querido e rockeiro Ben!