Gola e golinha

20140126-185625.jpg

20140126-185641.jpg

20140126-185711.jpg

20140126-185701.jpg

A ideia era conseguir rentabilizar ao máximo um novelo de lã. Depois de dar muitas voltas à cabeça lembrei-me – uma gola para ela e uma gola para mim! O fio é este e comprei aqui. Aproveitei que a lã é bastante grossa e usei agulhas 9. Num instantinho fiz as duas. Ela adorou, eu também e os “maisdois” adoraram ver-me a fazê-las. Será que também queriam uma?

Fim do dia em três tempos

20140114-224231.jpg

20140114-224305.jpg

20140114-224521.jpg

Primeiro tempo:
Acho que estou a ficar viciada nestas luvas… Ando sempre com elas de um lado para o outro e prometo-as a toda a gente. Hoje, quando saí do trabalho, tive a sorte de ter de esperar pela minha boleia mesmo em frente ao mar.

Segundo tempo:
Preparar um lanche tardio para os filhos, mesmo sabendo que iam ficar sem fome para o jantar. Que contentes ficaram com a nova máquina de fazer waffles!

Terceiro tempo:
Arrumar a sala ao som do nosso novo disco do Bob Dylan, enquanto fingimos não perceber que eles ainda estão acordados….

Luvas para todos!

20140106-175952.jpg20140106-180006.jpg

20140106-180011.jpg

Fim de semana de chuva significa fazer luvas para todos. Claro que, mesmo sem sair de casa há imensas coisas para fazer. Entre brincadeiras, bolos, arrumar a casa e preparar jantares e almoços, não sobra assim tanto tempo. O truque é ter sempre as agulhas à mão e sempre que temos um bocadinho dar dois dedos de malha….
Dei de presente de início de ano a mim própria 2 meadas de lã Beiroa, um fio proveniente da lã de ovelhas da Serra da Estrela, fiado e tingido em Portugal com cores lindas e muito suaves. Comprei na Retrosaria , loja onde tenho vontade de comprar tudo. Não é maneira de dizer… É mesmo TUDO.
Da meada fiz novelo e dos novelos fiz estas luvas, ou melhor, mitenes.
Quando queremos começar um trabalho em tricot, devemos sempre fazer uma pequena amostra de 10 pontos por 10. Depois, medimos este quadradinho e fazemos a proporção para o trabalho que queremos, seja ele uma camisola, umas luvas ou um cachecol. Neste caso medi as mãos de todos (incluindo as minhas) mas sem contar com o polegar. Depois tricotei um rectângulo e quando cosi as laterais deixei um buraquinho para o polegar. Já está! Eles adoraram e, embora não lhes aqueça a ponta dos dedos acabam por ser mais práticas e não estão sempre a tirá-las. O Benjamim até jantou com elas… Agora ainda me faltam dois pares. Acho que vou aproveitar a chuva.